sábado, 3 de janeiro de 2009

O cinema de 2008 - Melhor filme




As três pessoas além de mim que lêem este blog talvez, porque a vida tem tantas preocupações, se lembrem que lá embaixo, na lista da música, eu prometi uma lista de cinema. Acreditem ou não, consegui ver menos filmes novos do que ouvir discos novos em 2008. Justo eu, que amo tanto o cinema. Mas a dureza e a falta de tempo causam isso. Em um não tão prolífico como 2005, como eu dizia a um conhecido, mas ainda assim com bons lançamentos, como Juno, O escafandro e a borboleta etc, vi lançamentos, mas nada tão badalado quanto estes títulos que citei, à exceção do novo Batman e do novo 007. Deixando as franquias de lado, vamos ao primeiro filme que me veio à mente ao pensar no melhor filme do ano: Luz silenciosa.
Como o cartaz deixa ver, é um filme bastante premiadoo, mas não é por isso que o cito: já fiz minha sessão de descarrego pessoal e não existe mais essa de críticos dominarem meu corpo. Esse filme mexicano possui muitas qualidades: mostra o cotidiano de uma comunidade menorita do Norte do México; é falado no dialeto deles, ou seja, algo próximo ao alemão que não é alemão, o que torna o cotidiano dessas pessoas com costumes plantados no século dezenove mais interessante e afastado da realidade mexicana do século vinte e um; tem esse lado "globalização", mas com uma história que apela sem pieguices aos sentimentos e à humanidade; é luminoso e silencioso, e não obstante alguns devaneios de manejo de câmera, o silêncio e a luz acachapantes são testemunhas da dissolução emocional de uma família afetada pelo adultério do pai. É um banho de sensibilidade, e apesar do final que acho decepcionante, Luz Silenciosa é uma aula de cinema e de narratividade, em um ano em que todos acharam que um palhaço de cara borrada foi a grande explosão criativa do ano. Ainda fico com as pessoas delicadas e que exploodem por dentro. Carlos Reygadas confirma, após o surgimento de Guillermo del Toro ( O labirinto do fauno), a boa fase do cinema mexicano. Não deixem de ver a luz penetrando límpida pela tela.

3 comentários:

naked disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
naked disse...

Gostei do labirinto do fauno e do ecafandro e a borboleta. Ainda não vi luz silenciosa, mas já está na minha lista. Valeu pela dica! ;)

mario elva disse...

Depois de assistir àquele filme que tm um boquete gratuito e o chatíssimo "Japon", desisti do Reygadas.